FAM - Faculdade Manancial

 



ONLINE
1




Partilhe este Site...




I INTRODUÇÃO
I INTRODUÇÃO

CAPELANIA - o que é?


            Trata-se de uma assistência religiosa prestada por ministro religioso garantida por lei em entidades civis e militares de internação coletiva como dispositivo previsto na Constituição Brasileira de 1988 nos seguintes termos: «é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva.» (CF art. 5º, VII).

Capelania é uma atividade cuja missão é colaborar na formação integral do ser humano, oferecendo oportunidades de conhecimento, reflexão, desenvolvimento e aplicação dos valores e princípios ético-cristãs e da revelação de Deus para o exercício saudável da cidadania.

A capelania é a organização responsável, junto aos hospitais, pela transmissão dos cuidados pastorais às pessoas que estão em crises. Através da capelania tem-se a oportunidade de ministrar o evangelho, como também, de descobrir os meios de auxiliar as pessoas que estão com problemas, a enfrentar séria e realisticamente as suas frustrações, medos e desapontamentos. É um trabalho de assistencialismo, com enfoque espiritual. 

O Capelão com a habilidade que tem de transmitir o evangelho, tem como função primária completar o atendimento dispensado ao indivíduo por parte dos médicos e enfermeiros. O capelão pode incutir nos familiares o senso de tranquilidade e confiança, preparando-a psicologicamente, para o tratamento que se seguirá. Esses familiares precisam de amizade, compreensão e amor, e elas esperam encontrar tudo isso no capelão.

É assegurado nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva (Art. 5º da CF). Para fins de dar assistência religiosa, foi assegurado na constituição vigente tal direito substanciado no serviço de capelania, que poderão funcionar dentro do próprio hospital.

A capelania legalmente constituída, representada por capelães preparados para tal função, usando-se o princípio do bom senso, a maneira de trajar-se, a maneira no trato pessoal, a boa formação acadêmica e, sobretudo, espiritual e respeitadas as normas próprias de cada instituição, é assegurado o direito de entrar e sair a qualquer hora. Levara conforto e apresentar o plano da salvação aos aflitos e necessitados.

É um ministério de evangelização e consolo, trabalhando junto aos médicos, psicólogos, psiquiatras, enfermeiros, visando um atendimento às pessoas que sofrem levando-os conforto em hora de aflição e transmitindo ensinos bíblicos de que cada pessoa que passe pelo hospital tenha um encontro pessoal com Jesus Cristo. Nos hospitais o trabalho é realizado com os pacientes internados (leito a leito), seus familiares, e também com os funcionários, ajudando-os a encontrar o caminho, Jesus Cristo.

Lembramos a importância que Jesus deu à visitação a enfermos quando disse... Estava enfermo e me visitastes... Mat. 25:36.


A enfermidade torna o homem, sensível, levando-o a pensar em Deus, buscando comunhão profunda e íntima com o Senhor, abrindo o seu coração e a sua mente para ouvir sobre o amor de Jesus.

O Ministério de Capelania tem como objetivo junto às entidades hospitalares públicas e privadas, estabelecimentos prisionais civis ou militares, sanatórios, quartéis das forças armadas e auxiliares, prestar aos internados:
a) Atendimento diário diuturnamente leito a leito;
b) Cultos com pacientes e familiares e servidores;
c) Aconselhamento bíblico e estudos bíblicos;
d) Atendimento psicológico aos familiares;
e) Aconselhamento aos pacientes terminais;
f) Programação especial em datas comemorativas;
g) Palestras para profissionais de saúde e servidores que voluntariamente manifestarem o desejo de estudar a bíblia, gratuitamente.


CAPELÃO O QUE É?


Capelão é um ministro religioso devidamente preparado, autorizado a prestar assistência religiosa e a realizar cultos religiosos em comunidades religiosas, conventos, colégios, universidades, hospitais, presídios, corporações militares e outras organizações. Ao longo da história, muitas cortes e famílias nobres tinham também o seu capelão. São atribuições do capelão fixo nas entidades:


a) coordenar todo o serviço de Capelania Evangélica, respondendo diretamente junto às entidades hospitalares públicas e privadas, estabelecimentos prisionais civis ou militares, sanatórios, quartéis das forças armadas e auxiliares;


b) designar os capelães-auxiliares no atendimento a pacientes e a funcionários;


c) dirigir e coordenar os serviços dos capelães-auxiliares;


d) organizar as atividades da capelania;


e) aprovar todo material impresso a ser distribuído;


f) estabelecer praxes acerca dos deveres e direitos dos pastores e leigos visitadores;


g) empreender conferências hospitalares e comunitárias, cabendo-lhe a seleção de conferencistas de fora;


h) observar o cumprimento dos regulamentos da capelania, zelando pelo bom convívio com outros religiosos e pessoal da equipe de saúde;


i) escrever ou aprovar artigos para publicação e boletins do hospital ou da capelania;


j) dirigir ofícios fúnebres a pedido da família do paciente ou do hospital;


k) convocar reuniões com a equipe da capelania
Onde se pode exercer a CAPELANIA:

ü  Escolas,

ü  Presídios,

ü  Hospitais,

ü  Quartéis Militares,

ü  Cemitérios,

ü  Sindicatos,

ü  Empresas,

ü  Clubes,

ü   Creches,

ü   Condomínios,

ü  Instituições Públicas (Câmara, Prefeitura...)

 

Em este inexprimível Curso, aplicaremos as seguintes matérias:

 

 

II CAPELANIA GERAL                                                              

III CAPELANIA MILITAR                                                                      

IV CAPELANIA CARCERÁRIA                                               

V CAPELANIA ESCOLAR                                                        

VI PSICOLOGIA 1                                                                      

VII INTRODUÇÃO DA PSICOLOGIA                                    

VIII PSICOLOGIA 2                                                                               

IX ACONSELHAMENTO PASTORAL                        

X LITURGIA                                                                                  

XI PSICOLOGIA PASTORAL                                                  

XII DIREITO ECLESIASTICO                                                  

XIII UNGIDO DE DEUS                                                              

XIV ÉTICA MINISTERIAL                                                         

XV ACONSELHAMENTO PASTORAL                                  

XVI ADMINISTRAÇÃO ECLESIASTICA                               

 

topo